terça-feira, 29 de novembro de 2016



Wired calculou que a DC Comics e a Marvel, juntas, vão poder abastecer o mercado de heróis cinematográficos por mais de 3 milênios. A revista se baseou nos pronunciamentos oficiais das editoras: a Disney, parceira da Marvel no cinema, anunciou que estava buscando entre 7 mil personagens um novo herói que chegasse aos pés do Homem-Aranha. O arquivo oficial da DC traz mais de 10 mil personagens. 
Para os próximos quatro anos, as duas empresas já têm 19 filmes confirmados. Continuar com essa frequência exigiria o lançamento de 4,75 filmes por ano. Nos próximos 3.400 anos, o total seria de 16.150 filmes. Com a estimativa de 17 mil personagens, é gente suficiente para descartar os menos populares, sem nunca ter que repetir um único herói em um longa. Isso sem contar as continuações e filmes em grupo.
E vale muito a pena para as empresas continuar a se dedicar ao público que não lê quadrinhos, mas está disposto a ir ao cinema devorar uma franquia atrás da outra. De 2012  para frente, a “pior” bilheteria da Marvel foi de US$ 585 milhões no mundo todo. Vingadores faturou US$ 1,5 bi, a sequência conseguiu US$ 1,4 bi e Capitão América: Guerra Civil, o mais recente do universo Marvel, chegou a marca dos U$ 1,3 bilhões. Foi o filme que mais vendeu ingressos em 2016. A DC vem crescendo, com um faturamento de US$ 668 milhões em Homem de Aço em 2013, em 2016 os filmes da Warner nao fizeram feio,  Os longas de Esquadrão Suicida e Batman vs. Superman chegaram respectivamente  a US$ 745 milhões somando-se aos US$ 873,2 milhões do longa que trouxe o embate entre os maiores heróis da editora, totalizando uma arrecadação de US$ 1.618.200.000 ( um Bilhão, seiscentos e dezoito milhões e duzentos mil Reais.
Os fãs de quadrinhos receberiam de braços abertos a inclusão de novos heróis e vilões queridos que nunca chegaram ao cinema. Alguns deles, como Mulher-Hulk e Super-choque, fizeram sucesso em animações para televisão. Um dos mais antigos heróis da Marvel, Namor – que, inclusive, apareceu na primeira edição já publicada, em 1939 -, também aguarda sua estreia nas telonas. Mais recentemente, a popularidade da Garota Esquilo entre os fãs já fez duas celebridades manifestarem interesse em interpretar a protagonista, mas não há nenhuma evidência concreta de que a Marvel esteja considerando uma produção.
Ainda assim, podemos admitir que a variedade de heróis fora dos quadrinhos nunca foi tão grande: DC e Marvel tem investido bastante não só em repetir receitas que deram certo (como faz a Fox com seus numerosos filmes de X-Men), mas também em construir universos mais amplos e conectados entre seus filmes e séries de TV. 
Seguindo essa tendência, os irmãos Russo, diretores de Vingadores: Guerra Infinita querem introduzir um número nunca antes visto de heróis em um filme só. Joe Russo chegou a mencionar que eles estavam trabalhando com um quadro de 67 personagens. É muito provável que esse número seja um exagero – e mesmo que apareça tanta gente de uma vez, o público não vai ser capaz de conhecer cada uma delas.
Por outro lado, nem a Marvel nem a DC tem motivo para economizar: se fizerem 4 filmes por ano, cada um com 70 personagens, ainda sobra herói para manter as salas de cinema cheias por 60 anos.

Gostou? Curta nossa fanpage!

0 comentários :