sexta-feira, 23 de dezembro de 2016


É notório o sucesso de star war Rogue One, uma historia que conta como os rebeldes conseguiram os planos da estrela da morte que acabou nas mãos da princesa Lea e assim foi o início de tudo no clássico star wars uma nova esperança.
Mas o que levou a isso tudo é uma história bem interessante.

O ano era 1973 quando Geoge Lucas lançou American Graffiti ( loucuras de verão), um filme adolescente ambientado nos anos 60, foi um grande sucesso de publico e crítica,  suficiente para encorajar Lucas a voar mas alto.

E assim começou a peregrinação para realização de sua obra. No início a intenção era comprar os direitos de flash Gordon e fazer um remake  atualizando a mitologia do herói.  Acorre que Lucas NÃO cconseguiu (para o bem de todos  nerds) decidindo então criar a sua própria mitologia com herois , vilões e planetas próprios.

Pode-se dizer que conseguiu, tamanhas as proporções que tomou com o tempo o seu universo.
Nos primeiros rascunhos de duas páginas o título era: "Diário dos whills" falava do treinamento de um aprendiz CJ Thorpe como um "jedi-bendu" sob a liderança do lendário Mace Windy.

Um roteiro complicado, recambolesco cheio de idas e vindas.  Lucas então decidiu reescrever e foi refinando e alterando tudo com o tempo,  finalizado o projeto foi apresentado e rejeitado, isso mesmo rejeitado. Não por um mas por 3 estúdios, foram eles a United Artists, Universal pictures e Disney ( vejam só que ironia).

Sem perder a esperança ( sem trocadilho) Lucas continuou sua peregrinação e foi até Alan Ladd Jr, chefe da 20th Century Fox na época e foi quem quem finalmente aceitou o desafio fechando um contrado de US$ 8 milhões, para que Lucas escrevesse e dirigisse o filme em junho de 73.

A ideia inicial era escrever um filme de baixo orçamento com jeito de cinema B. Mas os custos da produção ultrapassaram  os US$ 11 milhões o que quase custou o cancelamento por parte do estúdio que na época também passava por dificuldades.

E por falar em dificuldades, a produção enfrentou  pelo caminho  muitas, as filmagens na Tunísia que servia como cenário para Tatooine sofreu atrasos por causa das tempestades de areia. O robo R2D2 que funcionava por cotrole remoto apresentou também muitos problemas. e para piorar,  como a Fox passava por problemas financeiros havia desativado sua equipe de efeitos especiais, o que levou Lucas a tomar a corajosa decisão de criar a sua própria empresa de efeitos especiais,  a light end magic ( que mas tarde se mostrou uma mina de ouro e um grande acerto). Mesmo assim Lucas teve muito trablaho para poder entregar tudo no prazo, o que lhe deixou com sérios problemas de saúde, como uma hipertensão e um princípio de infarto. Por causa disto nos filmes posteriores decidiu ficar apenas na parte criativa e produção e passando a direção para outros.

Nesse contexto de dificuldades, o filme estava desacreditado por todos,  até mesmo pelos próprios atores.  Lucas insistiu em colocar atores desconhecidos na época e o unico nome de peso ( por pressão da Fox)  era o de sir Alec Guiness ou como ficou eternizado, o nosso Obi-wan que abraçou o filme acreditanto no seu sucesso, inclusive abriu mão do contrato com a Fox, que como mencionado passava por dificuldades e assinando um acordo de 2% dos royaltys de Lucas sobre o filme. Decisão arriscada mas que se mostrou sábia pois o sucesso da franquia lhe rendeu uma fortuna.

Para encerrar vamos a fatos curiosos sobre as fontes de inspiração de star war.

A ficção científica, óbvio foi o que serviu de pano de fundo, flash Gordon que era a obsessão de Lucas foi ali transformado em algo novo.
As séries literárias john Carter e o livro Dunas tiveram grande influência.
Lucas também se inspirou nos filmes de samurais de Akira Kurosawa e uma das obras que mas influenciou foi um livro de não ficção chamado o heroi de mil faces. Escrito pelo mitologista Joseph Campbell, Onde narra a jornada do herói,  e que o pesquisador descreve como em muitas mitologias utilizam-se da estrutura do arquetipo do herói.

E foi onde Lucas inspirou-se para criar seu Luke skywalker, com base nesse arquétipo, o personagem se coloca ao lado de heróis mitológicos como hércules,  perseu e Édipo.

E por ultimo, mas talvez não menos importante,  seja a obra francesa de 1967 que saiu nas tirinhas de jornais, a ficção científica Valerian - o agente espaço temporal- escrito por Jean-Caude Mésiéris e desenhado por Evelyne Tranlé. Já sabemos que ano que vem a obra ganhará também as telas de cinemas. Basta ler  a obra e suas ilustrações para ver as semelhanças.
Para fechar, uma curiosidade,  o protagonista Luke teria o sobrenome starkiller inicialmente mas que foi mudado para skywalker.




Gostou? Curta nossa fanpage!

0 comentários :