sexta-feira, 23 de dezembro de 2016



A atriz Carrie Fisher entrou no imaginário coletivo - e mais ainda no masculino - por seu papel de Princesa Leia Organa na Trilogia Clássica de Star Wars. Com apenas 19 anos nas filmagens de Uma Nova Esperança, que sairia em 1977, a participação da atriz sempre foi relacionada a sexo e drogas. Agora, ela mesma conta sua versão da história, por meio de sua autobiografia, Memórias da Princesa: os Diários de Carrie Fisher, que traz, como o título entrega, trechos do diário que ela mantinha na época, junto a comentários mais atualizados.
A primeira bomba é a confirmação de que Fisher teve um romance com Harrison Ford, que fazia Han Solo, na época, com 33 anos, casado e com dois filhos.
Há um flerte entre Han e Leia em Uma Nova Esperança, mas os dois só se envolvem mesmo no seguinte, O Império Contra-Ataca, de 1980, estabelecendo-se como um casal estável em O Retorno de Jedi, de 1983, especialmente quando Luke Skywalker sai totalmente da jogada ao ser revelado como irmão de Leia.
Leia encara Darth Vader em uma das primeiras cenas de Star Wars.
Porém, antes mesmo dos dois personagens formarem um casal nas telas, Ford e Fisher tiveram um caso nas gravações de Uma Nova Esperança, que ocorreram em Londres, em 1976. A atriz conta que tudo começou na festa de aniversário de 36 do diretor George Lucas, quando Ford a protegeu de um "batismo de calouros" por parte de membros mais velhos da equipe. O caso durou três meses e Fisher dá a entender que se apaixonou fortemente por Harrison, mas compreendeu a relutância dele, por ser casado e ter filhos.
Luke, Leia e Han: Fisher e Ford tiveram caso. 
Além disso, Carrie negou que tenha usado drogas pesadas nas filmagens:
Apesar de haver especulações sobre meu consumo de drogas durante Star Wars, não usei nada além da maconha de Harrison nos finais de semana durante aquele primeiro filme. Depois disso, não consegui mais fumar maconha. Ela tinha um efeito tão potente e devastador em mim que nunca mais usei essa droga de novo (...).
Como posso descrever  para você a imagem desse intervalo de três meses no clima desértico da falta de sentimento? Infelizmente, não posso. (...) É a perda de memória que vem do consumo de maconha (...). Foi a ingestão de três meses da notória maconha de Harrison. Isso que rouba toda e qualquer lembrança vivida e esmagada sob seu calcanhar de fumaça. 
Leia virou símbolo sexual depois do biquini de escrava de O Retorno de Jedi, em 1983.
Carrie Fisher também comenta outras curiosidades, sobre como era feito o peteado (horroroso, segundo ela) icônico de Leia e o assustador fato de ter virado um símbolo sexual - especialmente após o "biquíni de escrava" de O Retorno de Jedi - quando ela própria não se considerava bonita. Inclusive, a atriz diz que ganhou o papel com a condição de perder 3 kg - ela fala que metade deles ficavam na sua bochecha - e tentou ir para um SPA no Texas, mas não conseguiu e não perdeu os quilos; começando as filmagens tentando esconder dos produtores que estava com o mesmo peso.
Carrie Fisher estará de volta no Episódio VIII de Star Wars, que chega aos cinemas em 2017.
Fisher de volta ao papel em O Despertar da Força. 

Gostou? Curta nossa fanpage!

0 comentários :