segunda-feira, 26 de dezembro de 2016



Cuidado, o texto abaixo contém spoilers para quem não acompanha a quinta temporada da série.

Quando Arrow estreiou ela tinha a missão de ser sombria e realista, assim como  a trilogia do Batman do Nolan para os cinemas, e ao mesmo tempo pegar o público órfão de sua prima Smallville. Teve um começo difícil, mais a partir da primeira metade da temporada inicial conseguiu encontrar seu caminho. Teve uma segunda temporada muito boa, conquistando seu público com um ótimo vilão, o Exterminador, e a chegada de personagens adorados pelo público, a Canário Negro (nessa época como a Sara Lance). Mas a partir da terceira temporada a coisa desandou de vez.

No início eu gostei da ideia de misturar  o sobrenatural e vilões com poderes de meta-humanos, mesmo o herói tendo um potencial mais urbano e realista. Primeiro porquê dava a brecha para vermos diversos personagens conhecidos ali em Live Action, segundo pois abriu caminho para as novas séries da CW (Oi Barry). Mas daí veio a série do Demolidor, todo mundo curtiu e eu acho até injusto as comparações, pois são casos totalmente diferentes. Mas isso com certeza deixou o público mais exigente, o que foi bom, e o melhor exemplo que posso dar é o romance entre Oliver e Felicity. No ínicio, quando era apenas um flerte era até legal, mas muitos começaram a torcer por aquele casal (lembre-se que a série passa numa emissora onde maior parte da vida funcionou em cima de romance para adolescentes). Mas depois que os oficializaram como um casal tudo ficou ruim, não tinham nenhuma química juntos, e quem lê as HQs ou viu o desenho da Liga da Justiça sabe como o Arqueiro Verde e Carnário Negro formam um dos melhores pares românticos da DC, se não o melhor. O resultado de tudo isso é que ninguém aguentou o casal Olicity e a série, com razão.

Além desse romance totalmente inútil, a quarta temporada foi um show de drama que não levou a série a quase lugar nenhum. Só para citar alguns, a Felicity ficou paraplégica por quantos episódios? Malcom Merlim tava mais repititivo que o bota casaco, tira casaco do treinamento do Jack Chan. E o flashback na ilha? A única coisa que serviu foi para o Oliver conhecer aquela moça Russa e ir para lá vingá-la.

Agora chego ao ponto onde realmente queria chegar, a quinta temporada está aí e novamente com a promessa dos produtores de que as coisas voltariam a ser como no início da série. Acompanhar uma série fielmente, quando todo ano várias novas estreiam e o tempo fica cada vez mais curto é difícil, mas eu gosto de acompanhar todas as séries desse universo de heróis, mesmo quando estão ruins faço um esforço, pois gosto desses personagens. E Arrow não precisou fazer muito para me conquistar de novo, sim pessoal, depois de tanta crítica ruim à série, tenho que lhes dizer que me interesso por ela novamente!

Essa temporada está longe de ser tão legal quanto a segunda, mas pode ser tão boa ou melhor que a primeira da série. E aqui vão alguns pontos que achei interessante levantar:
- A Felicity voltou a ser apenas o alívio cômico, acabou o romance entre ela e Oliver e espero que seja definitivo isso.
- Malcom Merlyn não deu as caras até agora! Ok, ele deu as caras no episódio 100 e realmente deveria, mas foi tão rápido que nem atrapalhou.
- A nova equipe foi um bom respiro a série, mesmo o Kurtis interpretando o “Kick-Ass” pois só apanha. Eu achei ele até mais crível do que a Canário Negro da Laurel, já que ele treina e só apanha nesse início de carreira como vigilante. Os outros personagens não chegam a ser tão legais como foi a adição do Ray Palmer, mas não atrapalham.
- O vilão misterioso volta as raízes sendo uma contrapartida ao Arqueiro Verde, sem poderes de meta-humano ou uso de recursos sobrenaturais até o momento. Eu até estava achando interessante ver o Tobias Church, é bom novamente ver o mundo do crime funcionando em Star City de forma organizada. E até fiquei surpreso da forma como o Tobias Church caiu, apenas para elevar ainda mais a motivação e ódio que esse vilão tem pelo seu criador, o Arqueiro Verde. Se toda essa história vai se sustentar ainda não sei, mas está  bem melhor que a do Damian Darhk com certeza.
- O mistério por trás da morte da Laurel Lance, será que foi forjado ou consequência do Flashpoint? Não é a primeira vez que um personagem voltará do mundo dos mortos, e tem que ser assim, já que é uma série baseada em história em quadrinhos, onde isso acontece o tempo todo. A personagem teve um amadurecimento significativo e estou torcendo para que seu retorno à dê mais destaque.
- Por último o flashback, como tem a promessa de ser o último ano mostrando a vida do Oliver depois do acidente foi legal finalmente conhecer como ele entrou para a máfia russa e a história está interessante.

Eu entendo quem parou de ver a série, é difícil acompanhar diversas séries a ainda mais uma com mais de 20 episódios que não nos prende a atenção. Mas essa primeira metade da quinta temporada está agradável e espero que continue mantendo esse nível, vai melhorar mais do que isso? Acho muito difícil, acredito mais que as chances de piorar são maiores. O melhor é não criar nenhuma expectativa, para não cair no conto da temporada melhor.

Esses foram alguns pontos que me levaram a gostar dessa temporada, agora é com vocês pessoal. Comentem aí quem abandonou a série, se estão detestando ou se alguém como eu voltou a gostar..


Gostou? Curta nossa fanpage!

0 comentários :