quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Cosplay de Sailor Moon


A Blogueira Andressa Amano postou em seu blog Blogueiras negras polêmico, mas importante artigo que trata, segundo a autora da ausência de negros em animes e séries. apesar de não comentar explicitamente sobre séries e só sobre animes, mangas e HQ's achamos oportuno transcrever o artigo aqui no AeC mas antes, fazer algumas ressalvas.


Em relação as HQ's temos acompanhado uma forte corrente de busca da representatividade nos quadrinhos, isso cite-se nas duas principais editoras Marvel e DC mas que, em nenhum momento essa busca da diversidade e multiplicidade não deixa de atrair polemicas e debates acalorados.



Em relação aos animes, é importante citar um dos mais importantes que já acompanhei, Afro Samurai protagonizado por um personagem NEGRO. Existem diversos outros que poderíamos citar, mas a própria autora reconhece o aumento desses personagens.


A autora ainda classifica a A cultura Otaku como altamente racista e sexista e é preciso ponderar que tais manifestações sao frutos de uma cultura fechada, com pouca miscigenação racial e que mesmo absorvida mundo a fora não deixa de ter elementos tradicionais japoneses.


Os pontos de vistas, polêmicos mas alguns com um grande fundo de verdade são importantes para discutirmos e analisarmos nao com o radicalismo de correntes ideológicas direitistas, esquerdistas, machistas, feministas, etc. Mas como pessoas sensatas e maduras longe dessa onda chata de POLITICAMENTE CORRETO que invadiu as internets.


Seque o texto:

or Andressa Amano para as Blogueiras Negras


Há um tempo estava fazendo uma pesquisa para fazer cosplay (representação a caráter de seus personagens de animes/cartoons favoritos) e reparei que há poucos personagens negros dentro dessa cultura.

Deve-se levar em conta que o Japão é um país onde houve pouquíssima miscigenação. A cultura Otaku é altamente racista e sexista. Recentemente houve uma polêmica em torno da personagem Lenora, do anime Pokémon. O figurino que a personagem usa foi modificado, devido ao fato de que a personagem, uma diretora de museu ,usava um avental, o que foi interpretado como racismo.

No mundo das HQ’s isso não é diferente. Em 2011, a Marvel (gigante das histórias em quadrinhos americana) anunciou que o novo Homem-Aranha na série “Ultimate Comics Fallout“, Miles Morales seria negro de origem hispânica. A escolha foi bem criticada pois, para muitos, o herói representava o “sonho americano” e não deveria representar minorias.
A notícia de que a atriz Gina Torres gostaria de interpretar a Mulher Maravilha nos cinemas também gerou uma chuva de racismo ,afinal “Não tenho nada contra uma atriz negra ,mas…não seria bacana mudar um personagem americano tão importante!”. Não é importante que cerca 12 % da população dos EUA seja negra, muito menos que boa parte dela gostaria de se ver representada em HQ’s.

Hoje em dia ocorre uma maior exposição de personagens negros em mangás, HQ’s e animes. Mas isso não é uma representação suficiente. Crianças leem e veem esses produtos, muitas delas negras. Eu, quando criança, achava estranho o fato de só existirem personagens brancos nessas publicações. E quando tem, porque há tanto burburinho por conta disso?

Acredito que faltam muitas mudanças nesse quesito. A autoestima de muitxs fica mexida. Mas há um movimento muito bacana (e ousado) da parte de jovens cosplayers. Esses jovens fazem cosplays de personagens brancos não se importando com racismo e se divertindo, o que realmente importa !E é isso que eu desejo.Que tantos jovens nerds, geeks e otakus negrxs não se sintam oprimidos e que possam levar seus hobbies tão a sério quantos outros.

E ai? o que acham? 

Gostou? Curta nossa fanpage!

0 comentários :