quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Dualidade, todo mundo é assim. Uma pessoa na frente dos outros e outra quando está somente com seus pensamentos.

Watchmen é sem dúvidas uma das melhores adaptações dos quadrinhos. Apesar de um pequeno grupo bater o pé que a Hq é melhor, é inegável a qualidade desse filme.

Um dos personagens mais aclamados do longa é Rorschach, que ao investigar a morte do Comediante, se recorda de uma antiga piada:

"Um homem vai ao médico e diz que está deprimido, que a vida parece dura e cruel. Conta que se sente só num mundo ameaçador, onde o que se anuncia é vago e incerto.
O médico diz: - O tratamento é simples: o grande palhaço Pagliacci está na cidade esta noite, vá ao show, isso deve animar você.
O homem então começa a chorar copiosamente e diz: - Mas, doutor, eu sou o Pagliacci."

Dualidade, todo mundo é assim. Uma pessoa na frente dos outros e outra quando está somente com seus pensamentos.

Temos a necessidade de parecer melhor do que somos e estamos, principalmente em tempos de facebook. Fotos em lugares do caralho, com objetos de desejo. "Ostentação" o tempo todo.

Isso nos causa um puta tormento, achando que todos estão bem demais e nós estamos "camelando" na vida. Deixa eu explicar melhor:

As redes sociais criam um mundo onde: A) tudo o que as outras pessoas estão fazendo é público e visível a todos, B) a maioria das pessoas expõe uma versão maquiada e melhorada de si mesmos e de suas realidades, e C) as pessoas que expõem mais suas carreiras (ou relacionamentos) são as pessoas que estão indo melhor, enquanto as pessoas que estão tendo dificuldades tendem a não expor sua situação. Isso nos faz achar, erroneamente, que todas as outras pessoas estão indo super bem em suas vidas, só piorando nosso tormento.

Mas lembre-se, "vidas não vividas, são tristezas não vividas". É fácil achar que "Fulano de Tal" está melhor que a gente pela foto que ele tirou na praia. Porém é só isso que vemos da vida dele, não estamos o tempo todo com ele para vivenciarmos suas dores, angustias e tristezas.

Então, entenda: Assim como o Pagliacci, citado pelo Rorschach, todo mundo vive essa dualidade de felicidade na frente dos outros, e não um demérito isso, afinal, ninguém tem que saber da sua vida além do necessário. Agora pare de se frustar ao se comparar com todo mundo, pois tenha certeza que o mundo todo está fazendo a mesma coisa.

Meu conselho é: Seja o melhor de si mesmo e viva a sua vida, independente do que aconteça, pois é só dela que você é responsável. Inspire-se e curta no Face 10% de inspiração

Gostou? Curta nossa fanpage!

0 comentários :