quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

ESPECIAL "STAR TREK" - JORNADAS NAS ESTRELAS
Como todo mundo sabe, a não ser que tenha acabado de chegar em nosso planeta ou estivesse em coma nos últimos 51 anos, existem duas franquias atualmente que conseguem movimentar milhões de pessoas e até mesmo causar uma guerra entre fãs quando se fala algo contra. Estas franquias são STAR WARS e STAR TREK. 

Para nosso post vamos considerar STAR TREK. Apesar de toda a comoção que está franquia consegue em nosso dias, nem sempre as coisas foram assim. Na verdade desde o lançamento da primeira temporada da série original (na parte final) ela enfrentou o "fantasma do cancelamento". As razões eram puramente financeiras, a produção embora elogiadíssima não atingia os picos de audiência desejados. 

Mas ao ser lançada ela alcançou bons resultados na audiência (as séries mais fortes da época estavam fora do ar) e logicamente seu criador Gene Roddenbarry querendo explorar o universo recém criado começou uma 'campanha' para lançamentos de spinoffs. E é possível que muitos de nós talvez nem soubéssemos disto. 

Gary Seven
Um destes spinoffs era "Assignment Earth" (algo como: Atribuição, Designação ou adaptando Missão Terra). Não sei se foi proposital ou não (caso tenha sido foi uma ideia pioneira) mas o que seria o piloto de  "Assignment Earth" foi o último episódio da segunda temporada de Star Trek, série original. O episódio mostrava um humano treinado por alienígenas chamado Gary Seven cujo objetivo era salvar a Terra de um holocausto nuclear, missão a qual segundo a cronologia de Jornada nas Estrelas ele falhou. No projeto de Roddenberry,  Gary Seven seria um tipo de 007 espacial que deveria proteger a terra de ameaças alienígenas e de sua própria auto destruição, sabendo mais tarde que Jornada nas Estrelas seria cancelado, o seu criador tentou convencer o estúdio a fazer essa serie, mas o canal não aceitou. Porém em 1974 a ideia ia se transformar em um filme para a tv não ligado a Jornada nas Estrelas chamado "The Questor Tapes" que obviamente era uma tentativa de piloto para uma série (este filme foi exibido na extinta TV Tupi).

Doutor M'Benga
Ainda na segunda temporada da série original, Roddenberry tentaria mais uma vez convencer os produtores a autorizarem o spinoff "Hopeship". Esta serie seria uma espécie de 'Chicago Hope', 'Chicago Med' ou 'Plantão Medico' espacial, acompanharia as aventuras de uma nave médica da Federação em suas missões de ajuda pela Galaxia. Como Star Trek  era pioneira em algumas coisas, como por exemplo o primeiro beijo interracial da TV aberta americana (como sempre Kirk dava uns beijos em alguma mulher e neste caso foi Uhura!), a série seria a primeira da franquia protagonizada por um ator negro (o que só aconteceu anos depois com 'Star Trek: Deep Space Nine' em 1993) que representaria o personagem Doutor M'Benga que aparece no episódio 'A Private Little War'. Como no caso anterior o spinoff foi negado devido à recepção que Star Trek estava recebendo pelo público (baixa audiência), apesar disto os conceitos e os personagens que fariam parte do spinoff foram utilizados nos livros  da serie Einai de Jornada nas Estrelas escrita por Simon Lang. Os conceitos conceitos da nave medica foram utilizados na serie Jornada nas Estrelas a Nova Geração, no seu episódio final intitulado 'All Good Things' quando foram mostradas a nave medica e seus equipamentos.

Mudd - o trambiqueiro
Finalmente a última tentativa de Roddenberry foi: "The Space Adventures of Harry Mudd" (As Aventuras Espaciais de Harry Mudd). Mudd foi um personagem apresentado em dois episódios engraçadíssimas da série original: 'As Esposas de Mudd' e o adorado 'Problemas Com Pingos'. O personagem ficou tão popular que foi um dos poucos personagens a ser transportados para a serie animada de Jornada nas Estrelas (que chegou a ganhar um Emmy). Gene Roddenberry não tinha ideia de quão perto chegou de renovar contrato com o canal, ele só descobriu isto mais tarde durante uma conversa numa festa da empresa. A série claro contaria as aventuras nada honestas do trambiqueiro Mudd pela Galáxia, e foi uma pena realmente eles não terem aceito levar adiante o projeto. Eles tinham um bom personagem, um bom ator e a série seguiria independente do universo Trek. Mas o que realmente importou não foi o grande potencial da série, mas sim a audiência da série original........fazer o que???

Bom, mais a esta altura você está se questionando: 'Ora, se a série tinha pouca audiência, seus spinoffs eram todos negados, e Roddenberry acabou saindo do projeto, como Star Trek se tornou enorme como é hoje?'
Por causa do tal 'syndications' (algo como 'sindicação'). O que é isto? É um sistema adotado pelos americanos onde uma série pode ser vendida para uma ou mais redes de televisão para ser transmitidas pela primeira vez ou em sistema de reprises. A série já pode ser transmitidas dentro deste sistema desde de seu lançamento (como é o caso de séries estrangeiras), ou pode entrar no sistema enquanto ainda é transmitida ou entrar no sistema quando atingir mais do que 100 episódios (por isto vemos séries se esforçando para chegar ao 100º episódio. Pois isto permitirá que ela entre no sistema de reprise muitas vezes superando os resultados originais). 
Star Trek já em sua primeira temporada entrou no sistema e foi adquirida por uma grande rede que tinha planos de utilizar a série para competir com os telejornais locais das outras emissoras. Isto fez com que Star Trek finalmente tivesse um horário digno (coisa que Roddenberry lutou bastante sem sucesso) e se tornasse um fenômeno nacional. Para se ter ideia ela é exibida até hoje, rendeu três  spinoffs e já há um novo em ponto de lançamento......

Leia também:
SÉRIES QUE NÃO TIVERAM CHANCE - Review


CONVITE!


Se você aprecia este tipo de postagem, lhe convido a se juntar ao nosso GRUPO no facebook que é dedicado a compartilhar curiosidades e imagens do passado antigo ou mesmo mais recente, desde que sejam curiosas e que nos tragam boas memórias.
JUNTE-SE A NÓS: MEMÓRIA NERD

Gostou? Curta nossa fanpage!

0 comentários :