quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Bom, nem sempre é fácil falar sobre seriados porque as opiniões divergem de uma pessoa para outra. Mas mesmo assim afim de informar aqueles que nos seguem podemos dar algumas indicações sobre o que se pode esperar. 

"24: LEGACY" é mais uma tentativa de se retornar com a série "24 Horas" que em seu início foi inovadora e um grande sucesso na TV. Porém depois do espanto inicial causado pelo formato, a série se tornou vítima de seu próprio estilo, caiu na armadilha da repetição e o interesse do público se foi. 


O que se pode esperar desta nova empreitada da série? 

Bom se for uma daquelas pessoas que lamentam o encerramento da série e que sentia saudades dela, "24: LEGACY" é exatamente o que você quer e precisa. Tudo o que a original tinha está lá. A tela dividida em seguimentos que mostram os acontecimentos simultâneos, o relógio mostrando o tempo decorrido, a correria do personagem central tentando evitar mais um ato de terrorismo no solo americano. 

Dentro da história você encontrará as mesmas coisas das temporadas anteriores: o vazamento que põe em perigo agentes e civis; funcionários que agem nas costas de seus superiores; superiores que simplesmente não aceitam as informações recebidas; funcionários ambiciosos que nem se preocupam em saber o que está ocorrendo e 'entregam' os colegas (que tentam ajudar o agente) a seus superiores; os agentes inimigos infiltrados no governo, no CTU, na polícia, enfim em todo lugar. 

E acho que aí está exatamente o que atrapalha a série. Não há mais o que mostrar. Todos nós sabemos que o agente é um 'badass' e que ficará sozinho, sabemos que alguns membros do comando lhe ajudarão escondidos. Sabemos que as ações e atitude que vemos é apenas uma 'bomba de fumaça' para desviar nossa atenção e que depois teremos 'revelações inesperadas'. 

O elenco foi renovado e pelo menos nos dois episódios exibidos (no dia 5 e no dia 6) só aparecem alguns poucos que estavam na série original. Para vincular a série atual a anterior, além do título aparecerá o imortal Tony Almeida em que contexto ainda não sabemos. 

Não há nada de novo na série? 

Sim! O protagonista. Pelo que vimos na última temporada exibida de "24 Horas" não havia como Jack Bauer ser mais uma vez o herói, mesmo porque Kiefer Sutherland está trabalhando em outra série onde ele é o presidente substituto dos EUA após a morte do presidente eleito e de seu vice. 

O herói da vez é Eric Carter interpretado por Corey Hawkins. Eric é um ex militar que participou na ação que acabou na morte de Bin Laden, ocorre que durante a ação um dos homens do grupo de Eric pegou um cofre com algo importante. Como sempre temos vazamentos no CTU as novas identidades dos soldados que participaram são passadas para um grupo liderado pelo filho do terrorista assassinado e dono do tal cofre. 

Os terroristas passam a pegar cada membro do grupo de soldados americanos interrogando-os e matando-os junto a suas famílias. Quando só restavam dois Eric e Ben, Ben avisa Eric que os terroristas os haviam identificado. E por ser uma série, o aviso veio no exato momento em que os terroristas estavam na porta de Eric que lógico mostra suas habilidades. 

O envolvimento do CTU se dá porque a ex diretora de lá Rebecca Ingram é que tinha comandado a ação e Eric ligou para seu telefone pessoal (!?!?!?) pedindo ajuda. A partir daí Eric corre através da cidade matando terroristas e sendo perseguido por eles e pela polícia.......ou seja, 'mais do mesmo'

Porém temos más noticias. A audiência do primeiro episodio exibido após o Super Bowl foi a pior em 14 anos!!

Você poderá ler nosso post anterior sobre o assunto é assistir ao trailer aqui

Gostou? Curta nossa fanpage!

0 comentários :