sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017


Se você chegou no planeta terra por estes dias e talvez ainda não saiba que a Netflix oficializou a produção de uma série animada (para maiores de 18 anos) baseada em Castlevania, clássico game da Konami. recomendo a leitura prévia deste post: "" Depois volte pra cá e vamos entender um pouco mais sobre o assunto.

O produtor Adi Shankar revelou em uma conversa com o Collider que a animação será baseada no jogo Castlevania III: Dracula’s Curse. Durante a entrevista, Shankar também afirmou que a animação será a melhor adaptação de games já feita:
                               "Estou pessoalmente garantindo que esta será a melhor adaptação de videogame já feita. Eu a vi e está incrível pra cara***".

A produção está por conta de Kevin Kolde (Hora de Aventura) e do Adi Shankar (Dredd), já o roteiro fica por conta de Warren Ellis.

A primeira parte desta aguardada animação deverá estrear ainda em 2017 e a parte 2 já está programada para 2018.

Castlevania III: Dracula's Curse (NES). Conhecido no Japão como Akumajō Densetsu (Lenda do Castelo Demoníaco), é o sexto jogo da franquia e o terceiro Castlevania produzido para o Nintendo Entertainment System (Nintendinho). O jogo foi desenvolvido e lançado primeiramente no Japão pela Konami em 1989 e foi dirigido por Hitoshi Akamatsu.

Sinopse:
O ano é 1476, o Conde Drácula começa a assolar a Europa com um exército de criaturas míticas e mortos-vivos, os cidadãos de bem que ousaram desafiar o poder maligno de Dracula, não foram capazes de sobreviver.
O clã Belmont, uma família de caçadores de vampiros, conhecidos por sua longa história de luta contra o mal e outrora exilados da Valáquia, são novamente procurados pela Igreja, para lutar contra as forças vís de Drácula . O povo temia o poder "sobre-humano" dos Belmonts, e pediram a eles que saíssem de suas terras, mas agora o Conde Drácula ameaça trazer uma era de caos e escuridão para a Europa! Afortunadamente, um poderoso Belmont é encontrado, seu nome é Trevor, atual portador do lendário chicote "Vampire Killer". A maldição de Drácula se inicia, e o destino da Europa está nas mãos de Trevor. Mas ele não lutará sozinho, durante sua missão para derrotar Drácula, três heróis irão se juntar em sua luta: Sypha Belnades, uma feiticeira com poderes elementais, Grant Danasty, um pirata acrobata cuja família foi assassinada por Drácula, e o dhampir "Alucard", ninguém menos que Adrian Farenheights Tepes, o filho de Drácula, que mudou seu nome como um sinal de oposição aos objetivos de seu pai. Juntos terão que percorrer o território da Transilvânia, repleto de desafios e inimigos, e alcançar o coração dos domínios de Drácula, para o seu embate final.

Castlevania III é um jogo estilo 2D, pertencente a geração 8 Bits, dos gêneros: plataforma e ação. Utiliza em sua arte e enredo elementos de fantasia medieval e terror; situado no século XV, tem como tema principal a clássica luta de humanos contra vampiros. O jogador controla Trevor Belmont, o último caçador de vampiros de seu clã, e no jogo deverá enfrentar uma horda de mortos-vivos e criaturas mítológicas como medusas, ciclópes, harpias e diversos outros. Para ajudar Trevor, o jogador conta com o arsenal clássico da série, tendo o chicote como arma principal e as armas secundárias: adaga, água benta, cruz, machado e relogio do tempo. Castlevania III inova em relação ao seus antecessores ao trazer pela primeira vez a opção de controlar outros três personagens, além do personagem principal; depois de recrutar um desses personagens durante o jogo, o jogador tem opção de alternar para o personagem secundário e então utilizar suas respectivas habilidades, aumentando as opções de estratégia que o jogador pode utilizar para facilitar o percurso através das fases e derrotar inimigos. O jogo possui um total de 16 fases, com progressão "não-linear", sendo esta, outra inovação na série que permite que o jogador escolha entre diferentes caminhos para chegar ao castelo de Drácula, essa escolha também determina se Trevor se encontra com um dos três possíveis aliados, Syfa, Grant ou Alucard, ou se segue sozinho até o castelo de Drácula, o que dá ao jogador 4 possibilidades de finais de acordo com o caminho que escolher no jogo. Os gráficos são os melhores da série no NES, muito bem trabalhados, com efeitos de névoa e trovões, impressionantes para época. As músicas são excelentes, algumas delas tornando-se clássicas na série como "The Beginning"; particularmente a música de abertura "Prelude" realmente me impressionou por ter uma composição que emociona mesmo com toda limitação da época.
Catlevania III tem uma jogabilidade bastante difícil, como a maioria dos jogos da época exige do jogador: muitas "vidas", precisão, "timing", domínio dos controles e que conheça as limitações do personagem; um bom uso dos recursos disponíveis também faz toda a diferença, muitos itens como: armas secundárias, corações, power ups e life recovers (o bom e velho "franguinho") são encontrados ao quebrar objetos do cenário, e os mais importantes estão escondidos muitas vezes em paredes ou plataformas quebráveis, não se esquecendo dos "companheiros" de Trevor, eles compartilham da mesma barra de vida de Trevor e cada um tem suas próprias habilidades, Syfa tem acesso a magias que causam muito dano porém é menos resistente, Grant é escala paredes e diferente de Trevor consegue mudar de direção durante o salto salto e Alucard ataca a distância com bolas de fogo e pode voar ao se transformar em morcego.

Este post só foi possível graças a colaboração do amigo gamer:  Shoji Kawaguchi 

.Gostou? Não esqueça de deixar seu comentário e de compartilhar com os amigos.

Gostou? Curta nossa fanpage!

0 comentários :