segunda-feira, 6 de março de 2017

Uma das coisas que talvez façam o personagem Batman se conectar tão facilmente com seus leitores, é o fato dele ser uma pessoa comum que se tornou uma lenda. Isto possibilita que qualquer um possa colocar o manto e sair ‘baixando o braço’ nas pessoas (claro, que é preciso ter bastante dinheiro e um treinamento intenso).

Já lemos várias histórias em que o ‘cruzado de capa’ estava impossibilitado por alguma razão (já foi declarado morto pelo menos duas vezes!) e teve de ser substituído por alguém da família ‘morcego’ ou em alguns casos por pessoas de fora. Neste post vamos sair um pouco do nível família e entrar em realidades alternativas, viagens ao futuro e até em outro planeta!!! Vamos começar então com.....

BATMAN DE ZUR-EN-ARRH

Em 1957, France Herron, Dick Sprang e Charles Paris tomaram para si a missão de fazer de “Batman um titulo como Superman (as vendas das revistas em geral estavam em queda, e Superman era a única que se saia bem nas lojas)”, e para isto bolaram a história publicada em Batman # 113. Nela Batman foi contatado por alguém de um planeta misterioso e depois foi transportado para lá. Ao chegar ao planeta Batman descobre que algo na atmosfera fazia com que ele tivesse poderes iguais aos de Super-Homem!!! Mas quem poderia tê-lo chamado a este planeta? Ninguém menos do que......o Batman de lá!!! Sim, em Zur-En-Arrh havia um sujeito que estudou Batman profundamente à distância e que depois se tornou o Batman de lá e que diferente de Bruce Wayne contava apenas com sua tecnologia avançada (entre elas estava o Bat-Radia que controlava o tempo). 

O Batman de Zur-En-Arrh precisava da ajuda do Batman da Terra para defender seu planeta de uma invasão alienígena, pois ele sabia que Bruce ganharia superpoderes ao chegar lá. Como esta história poderia tornar as vendas das revistas do Batman semelhantes a das do Super? Não tenho ideia, talvez por causa dos poderes....

Décadas depois, Grant Morrison trouxe o conceito do Batman de Zur-En-Arrh de volta ao titulo ‘Batman’, revelando que o Batman de Zur-En-Arrh era uma identidade alternativa que Batman havia desenvolvido para que ele utilizasse caso sua mente estivesse sob ataque de seus inimigos, enquanto sua verdadeira personalidade ficaria adormecida e protegida.

BRANE

O primeiro ‘Batman alternativo’ apareceu em 1944 na revista ‘Batman #26’, a história se chamava “The Year 3000” (“O Ano 3000”) do pouco conhecido desenhista de Batman Joseph Greene em parceria com o desenhista que se tornaria lendário na revista Dick Sprang (Sprang havia começado a desenhar Batman apenas um ano antes). A história se passava, como não poderia deixar de ser, no ano 3000 quando a Terra foi dominada por alienígenas. Um homem chamado Brane e seu filho descobriram uma capsula do tempo onde haviam antigos noticiários do passado. Desta forma eles puderam aprender sobre a revolução americana e é claro sobre Batman e Robin.
Atualização de Grant Morrison

Brane e seu filho então assumem a identidade de Batman e Robin e lideram seu povo em uma revolução contra seus soberanos alienígenas. No final, após terem conseguido libertar seu povo, descobrimos algo interessante sobre o futuro e sobre o próprio Brane. Acontece que no futuro os nomes das pessoas são combinados (nome e sobrenome), desta forma “Brane” na verdade era o nome “Bruce Wayne” combinado, ou seja, Brane era um descendente do Batman original!! Um ponto que merece ser destacado, é que esta história teve um significado especial para a época em que foi publicada, o mundo se encontrava mergulhado na Segunda Guerra Mundial....

Como no caso do Batman anterior, mais uma vez Grant Morrison traz de volta o conceito de Brane, agora como um corajoso guerreiro de um futuro pós-apocalíptico.

RED SON BATMAN

Durante anos a DC manteve uma linha de quadrinhos intitulada “Elseworlds”, cujo objetivo era apresentar versões de realidades alternativas de seus famosos heróis. Uma de suas minisséries mais famosas foi o clássico “Red Son” de Mark Millar, Dave Johnson, Killian Plunkett, Andrew Robinson e Walden Wong. O conceito desta série era que em vez do bebe Karl-El cair no Kansas, ele cai na União Soviética sob o poder de Joseh Stalin. Como a criança cresce lá, Superman ajuda a União Soviética a se tornar a maior superpotência da Terra.

No entanto Superman não estava livre de inimigos. Pyotr Roslov (uma distorção de Peter Ross de Smallville) um agente soviético, nutre grande ódio por Superman ter ‘tomado seu país’ e assim trabalha secretamente com Lex Luthor para derrubá-lo. Um de seus planos envolvia um órfão que esteve sob seus cuidados. Utilizando algumas lâmpadas de Sol vermelho o órfão adquiriu poderes que rivalizavam com os de Superman. Superman foi salvo quando sua amante (Mulher Maravilha) atraiu Batman e destruiu as tais lâmpadas, fazendo com que seus poderes desaparecessem. Batman então se matou!

WAYNE WILLLIAMS


Em 2001, Stan Lee (!!!) entrou na DC Comics para preparar uma linha de quadrinhos intitulada: ‘Just Imagine...' (‘Só Imagine....’). A ideia era trabalhar com a hipótese: “E se Stan Lee tivesse criado o Universo DC?”. Para isto foi posta a sua disposição uma equipe com os melhores artistas de quadrinhos do século XXI para juntos criarem uma serie de revistas com histórias únicas com os maiores heróis da casa (DC). Batman, desenhado por Joe Kubert, era sobre um jovem chamado Wayne Williams que teve o pai, um oficial da policia, assassinado. Em consequência foi morar numa parte ruim da cidade e acabou se juntando a um bandido local. Só que este bandido armou para que ele fosse acusado de roubo e tentativa de assassinato. Na prisão Wayne treinou até conseguir um físico perfeito (um detalhe era que Wayne era negro).

Wayne acabou recebendo perdão pelo seu crime e se tornou um lutador profissional bem sucedido. Assim, quando um amigo da prisão, que também era um cientista, saiu Wayne pediu para que ele lhe construísse um traje que lhe permitisse voar e ter outras habilidades semelhantes a um morcego (visão noturna, audição ampliada, e outras). Wayne passou a combater o crime como o Batman e eventualmente encontrou o homem que o havia arruinado e o matou.

ELLIOT NESS

Esta é mais uma da linha “Elsewolds”, onde como já dissemos, o artista tinha toda liberdade para fazer versões diferentes dos heróis, sem limitações. Mas a maior parte das histórias produzidas sobre o Batman não mudava o fato de ele ser Bruce Wayne. Assim saíram versões diferentes de Bruce Wayne, como por exemplo na história ‘Holly Terror’ onde Bruce era um padre; ou como em ‘In Darkest Knight’ onde Bruce era membro da Tropa dos Lanternas Verdes, Mas, em todos os casos era Bruce.

Houve algumas exceções notáveis, sendo uma delas a história criada por Max Allan Collins e Eduardo Barreto: “Scar of Bat”, onde o famoso combatente do crime Elliot Ness (!!!) adotou a identidade do Batman (baseado nos heróis Zorro e Bat) para obter informações que possibilitassem derrubar Al Capone! Neste caso, o nome ‘Batman’ também se referia ao uso que Ness fazia de um taco de beisebol real (!!) para obter informações de alguns bandidos...

Além dos cinco que acabamos de consider mais dez pessoas diferentes, foram o Batman! E vamos considerar todas elas nas partes 2 e 3 deste post, devido ao tamanho da matéria. Ao final poderemos decidir qual dos personagens abordados (e suas características) foi o melhor "Batman" que não é 'O' Batman.....


Gostou? Curta nossa fanpage!

0 comentários :