sexta-feira, 5 de maio de 2017


Como é difícil fazer um filme do SUPERMAN

O primeiro Super Herói, tem uma origem única e original, uma ficção Científica de primeira qualidade. Além disso, Superman é o personagem mais poderoso da cultura pop e o que sabemos de sua mitologia, nos mostra que novos poderes ainda podem aparecer (ao longo de mais de 75 anos, inúmeras mídias foram responsáveis por criar novos poderes para o herói). 

Calcular a extensão de seu poder também é complicado, pois como o corpo do Superman funciona como uma bateria solar, não podemos afirmar com certeza os efeitos que a radiação do sol amarelo podem causar ao longo do tempo (algumas publicações dão conta que ele só irá morrer, quando nosso sol perecer).


Quando você tem um personagem tão poderoso assim, fica muito difícil produzir uma historia (um bom roteiro), que funcione. Para complicar mais a situação, difícil não é impossível, além de possuir ótimas historias nos quadrinhos, series de TV e desenhos animados, Superman tevê sua versão definitiva em 1978 em Superman "o filme", transformando Christopher Reeve no verdadeiro e único Superman.
 
O melhor exemplo disso, é Superman Returns. Além do roteiro ruim, a necessidade de tentar repetir "Superman" de 1978, foi desastrosa. Achar alguém que consiga fazer, o que Reeve fez ao lado de Donner, é praticamente impossível e comparações, serão inevitáveis.

Bryan Singer, teve as melhores intenções do mundo, mas sua versão não decolou, transformando Brandon Routh, em uma cópia mal feita do verdadeiro filho de Krypton.

Qual seria o melhor caminho então?

Se distanciar dentro do possível, do filme de 1978 e produzir um filme usando elementos dos quadrinhos, pouco conhecidos pelo grande publico.



E foi o que Zack Snyder fez em 2013, no ótimo Homem de Aço. Voltando a suas origens de ficção Científica, o longa apresenta vários conceitos "diferentes", mas que não são novidades nos quadrinhos, seja em versões alternativas como a serie "Túnel do Tempo", ou em alguma reformulação que o personagem sofreu em tantos anos. 

Talvez, esse distanciamento necessário do filme de 1978, tenha causado a irritabilidade de alguns fãs mais puristas, o que fez com que o filme dividisse tantas opiniões e registrasse apenas 56% de aprovação no Rotten Tomatoes.


Sua bilheteria também foi abaixo do esperado para o mais importante herói do mundo, chegando no montante de US$668 Milhões de Dólares.

O filme consegue atualizar o personagem, sem perder sua essência, Henry Cavil está perfeito e consegue passar a bondade, a esperança e todas as virtudes do herói (o que infelizmente não foi bem retratado em Batman vs Superman).
O roteiro conta de maneira resumida, mas muito eficiente a origem do personagem, bem como seus primeiros passos para se tornar o nosso protetor (o momento Smallville é um ótimo exemplo).

O inicio em Krypton, remetendo a ficções Científicas recentes como Avattar é fantástico e seu visual metálico, muito interessante.

O figurino maravilhoso, notem que o visual do conselho Kryptoniano remete a reformulação feita por John Byrne nos anos 80.

Além disso, o filme conta com ótimas atuações, Kevin Costner está incrível como Jonathan Kent (por mais que para proteger o segredo de Clark, o personagem tome atitudes questionáveis, mas que se tornam entendíveis no mundo de hoje). 

Michael Shannon como General Zod é um dos melhores vilões do cinema, com motivações claríssimas e uma interpretação pra lá de convincente, dando verdade aos diálogos e se entregando de corpo e alma ao papel.



O filme conta com grandes momentos, tais como:

Superman aprendendo a saltar, antes de voar, uma referência ao fato do personagem só alçar voo quando ganhou a serie de animações dos Estúdios Fleischer e quando tromba na montanha, fazendo alusão a serie "Super Herói Americano".

Apesar de se distanciar do filme de 78, Homem de Aço faz varias homenagens aos filmes de Reeve, principalmente ao segundo, podemos ver isso na cena do banimento de Zod e os Kryptonianos para a zona fantasma, na cena onde o Super dá uma lição no Caminhoneiro encrenqueiro e na ótima batalha em Smallville, onde Superman enfrenta três Kryptonianos como em Superman 2.

Frases e diálogos memoráveis fazem parte do longa, que atinge seu ápice, quando, antes do confronto final entre Zod e Superman. o vilão detalha de maneira clara e real, sua motivações...

"Eu não tenho mais povo, minha alma..foi o que você tirou de mim"
Ou quando Zod (sempre ele) diz:

"Poderíamos ter construido uma nova Krypton em cima desta imundice"

A batalha final entre os dois Kryptonianos é fantástica e a destruição causada pelos dois, necessária. Quando Zod domina por completo seus poderes, Michael Shannon dá um Show criando uma cena que parece Quadrinhos em movimento.

Para finalizar, o controverso final, onde Superman mata o General Zod, o que causou inúmeras criticas, mas não deveria. A cena mostra de maneira resumida um dos momentos mais marcantes da vida do herói. Certa vez, quando três criminosos de Krypton chegaram a terra depois de devastar e destruir todo um planeta semelhante ao nosso, Superman se viu compelido a se tornar Juiz e executor, matando todos eles usando Kryptonita.

Ah, então o filme não tem defeitos?

Como quase todos, tem.
Amy Adams talvez seja a pior Lois Lane de todos os tempos e seu arco na historia, recheado de coincidências, além disso, as famosas paletas acinzentadas de Snyder, ditam de forma errônea as cores do longa. Mas mesmo assim, Homem de Aço faz justiça ao personagem e atualiza de forma consistente sua historia, talvez rever o filme, sem fazer comparações com o eterno Superman, seja a forma correta de se apreciar mais essa reinvenção do mito.

Para o alto e avante.

Gostou? Curta nossa fanpage!

0 comentários :