sexta-feira, 25 de agosto de 2017



Oi leitores audazes.

Hoje a gloriosa Netflix lançou a adaptação do mangá/anime de sucesso "Death Note". Esse intrépido escritor já o viu e farei um comentário a respeito.

Essa adaptação da história japonesa foi condensada e ajustada para os EUA, daí ter elementos que, apesar de serem comuns às outras adaptações Live-Action da série ocorridas nos últimos anos (sim, houveram, além do anime, três filmes e duas séries Live-Action, e outra está a caminho... Por sinal assisti a todas... Rsrsrs), o charme foi a abordagem dada.

Não tem o charme e frieza de Light (Nat Wolfe, convincente) e a loucura leve de Mia ou Misa (Margaret Qualley, linda e perigosa), e nessa versão, a Mia, namorada dele, parece mais com o Light do anime, porém mais doida...

O L, por sua vez, apesar de manter os traços de dedução e seus hábitos "peculiares", é muito mais passional, beirando quase a loucura. Porém a explicação dada para isso vem de sua origem como detetive, que é mais ou menos mostrada no filme, e nesse caso, bom assistir. Um detalhe: o ator que fez o personagem, Keith Stanfield, arrasou no filme, apesar das reclamações devido a etnia do personagem.

E o Ryuk? Dublado pelo Duende Verde Willem Dafoe, talvez seja o melhor personagem do filme, por ser simplesmente o mesmo jeitão em todas as adaptações que vi. Sarcástico, irônico, porém muito mais sinistro e poderoso.

Norman Osborn, é você?!?!

No decorrer do filme, situações inusitadas causaram mudanças na fórmula original, e com resultados surpreendentes.

Curiosos, leitores??

Assistam. Vi e, apesar de diferente, é mais uma nova visão desse clássico anime/mangá.

De uma nota de zero a dez, dou um 6.8.

Mas irei esperar a próxima adaptação que sairá no Japão, ou a segunda parte desse filme, se vier...

Boa tarde a todos.

Gostou? Curta nossa fanpage!

0 comentários :