terça-feira, 7 de novembro de 2017



noite de ontem (6) ficou quente no mundo do entretenimento depois da notícia sobre uma possível aquisição de parte da 21st Century Fox pela Disney. De acordo com as informações, a Fox venderia toda a sua divisão de entretenimento e ficaria apenas com os setores de notícias e esportes, engordando ainda mais a parte cinematográfica da casa de Mickey, Marvel e Star Wars.
Ainda segundo a reportagem desta segunda-feira, as duas empresas vinham mantendo uma conversa constante ao longo das últimas semanas e a grande motivação para a venda por parte da Fox estaria nas mudanças acontecidas nos últimos anos no mercado de entretenimento. Com o peso de empresas como Google, Apple, Facebook e Netflix, ela não teria o cacife necessário para se sustentar no meio, algo que aparentemente sobra para a Disney.
Para a Disney, porém, a jogada seria genial em vários sentidos. Vale lembrar que a empresa deve lançar o seu próprio serviço de streaming em breve, plataforma que receberia o reforço das produções de cinema e de televisão da Fox. A aquisição incluiria ainda os canais de TV por assinatura Fox, FX e National Geographic, além de assentos na direção da empresa nos EUA, na rede de TV a cabo indiana Star e no serviço de satélite europeu Sky Plc.
Além disso, seria a oportunidade de a empresa adicionar figuras como os X-Men e o Quarteto Fantástico ao Universo Cinematográfico da Marvel, fragmentado graças à má fase da Casa das Ideias antes de ela própria ser adquirida pela Disney, em 2009. Esse ponto é especialmente interessante para os fãs de quadrinhos e de suas adaptações para cinema e televisão.
Ações disparam
A possível aquisição aparentemente agradou ao mercado: as ações da Fox chegaram a alcançar alta de 9,1% durante a tarde de segunda-feira e terminaram o dia de ontem com alta de 8,5%. As da Disney fecharam o dia com alta de 2%.
Vai ou não vai?
Apesar de nenhuma das empresas falar oficialmente sobre o assunto, ao que tudo indica as conversas esfriaram e um negócio não foi fechado — ao menos por enquanto. Em notícia publicada ainda ontem pela Bloomberg, uma fonte inteirada do tema garante que as duas empresas não estão mais conversando sobre uma possível aquisição, apesar de não ficar claro se essa interrupção é definitiva ou não.
Comercialmente falando, o negócio aumentaria ainda mais a concentração de mercado por parte da Disney. Levando em conta os dados de janeiro a novembro de 2017 do site Box Office Mojo, que reúne informações sobre rendas de bilheterias de filmes ao redor do mundo, somandas, Disney e Fox teriam faturado mais de US$ 2,7 bilhões (30,3% do setor), quase US$ 1 bilhão a mais do que a atual líder do ranking, a Time Warner.
Contudo, salvo se houver alguma reviravolta, isso não deve acontecer tão cedo.
Texto: tecnomundo

Gostou? Curta nossa fanpage!

0 comentários :